Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, FORTALEZA, VARJOTA, Homem, de 56 a 65 anos, French, Spanish, Livros, Viagens
MSN -



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Link
 Evento
 Citação
 Avaliação
 Objeto de Desejo
 estante
 revistas
 curiosidades
 experimentos


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 PISO SALARIAL AGORA JÁ É REALIDADE
 UOL - O melhor conteúdo
 TELMOCIÊNCIAS
 BOL - E-mail grátis
 TELMOTAHAN
 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE
 o torto
 Blog de Attico Chassot
 Tecnocientista
 Luis Nassif
 Blog dos Quadrinhos
 Ciência em dia
 Blog desabafo Brasil
 CONTRAPAUTA
 INTERNETÓPOLIS, O IMPERDÍVEL


 
TELMOQUÍMICA - SEU ALMANAQUE ELETRÔNICO

Citação



"AlGAS COMO COMBUSTÍVEIS"

Buscar na Web ""



Escrito por gtelmo às 08h54
[] [envie esta mensagem] [ ]



"REGRAS DO JOGO DE XADREZ"

Autor: DENISE RAMOS MOREIRA

Quando: 28/08/2007

O xadrez é uma prática que vem se popularizando há algum tempo e com isso cada vez mais homens e mulheres tornam-se adeptos a esse jogo que simula uma batalha entre reinos. Não há restrições para se jogar xadrez, a única exigência é gostar de pensar. Nesta edição do blog você irá aprender como se dá os primeiros passos de um jogo de xadrez, desde a posição inicial até o final da partida. Aprendam como é o movimento de cada peça, quem inicia o jogo, qual a posição certa do tabuleiro, enfim, as informações necessárias para você já sair jogando. Espero que as pessoas que não conheciam o xadrez se tornem novos “companheiros de batalha” e apreciem as maravilhas desse jogo que é esporte, arte e lazer. Objetivo O objetivo final é capturar o rei adversário. Preparação: Cada jogador começa com 16 peças, dispostas na primeira linha na seguinte seqüência: torre, cavalo, bispo, rei e dama (a dama na casa da sua cor), bispo, cavalo e torre. Na segunda linha 8 peões. Note que a torre da direita deve estar em uma casa branca. As brancas começam. A posição inicial das peças no tabuleiro é a seguinte

Como Jogar

A cada vez um jogador faz um movimento. As peças têm movimentação diferenciada, o que faz com que tenham valores diferentes. Veja em resumo como se comportam as peças:

·       Rei - é a peça mais valiosa pois se capturado a partida termina. O rei pode mover-se de duas formas: indo para qualquer casa adjacente não atacada por uma ou mais peças adversárias ou ‘rocando’. Este é um lance do rei com qualquer das torres de mesma cor situada na mesma fileira e é considerado como um lance de rei apenas. Ele é executado como a seguir: o rei é transferido de sua casa original a duas casas em direção à torre e, então, a torre é transferida sobre o rei para a casa qual o rei acaba de atravessar, mas para isso é preciso que nem o rei nem a torre tenham ainda se movido. Além disso, é proibido fazer roque quando se está em cheque.

·       Dama – é a peça mais poderosa; pode ir para qualquer direção (vertical, horizontal ou diagonal).

·       Torre – movimenta-se quantas casas quiser na horizontal ou na vertical.

·       Bispo – movimenta-se na diagonal.

·       Cavalo – movimenta-se uma casa na diagonal e uma casa na horizontal ou vertical, afastando-se do ponto de que partiu; é a única peça que pode pular outras no seu caminho, costumamos dizer que o cavalo movimenta-se em “forma de L”.

·       Peão – movimenta-se uma casa para frente (da posição inicial pode avançar duas casas de uma vez); captura avançando uma casa na diagonal (é a única peça cujo movimento na captura é diferente do movimento normal); nunca pode recuar; se chegar até a última casa de uma fila é promovido a qualquer outra peça (só não um rei)

 

Final de Partida

Se um jogador der xeque-mate no outro, ele vence. Se um jogador não puder mover nenhuma peça, mas não estiver em xeque, a partida é considerada empatada. Se um jogador não tiver material suficiente para dar xeque-mate no outro (pelo menos uma dama ou uma torre ou dois bispos ou um bispo e um cavalo ou um peão, que possa ser promovido), também é empate. Ainda é possível que, em qualquer momento do jogo, os dois jogadores de comum acordo considerem a partida como empatada. Um jogador que achar que não tem mais chance, pode abandonar a partida, dando a vitória ao adversário.

 Uma curiosidade: o Xadrez é o único esporte em que uma mulher conseguiu conquistar um campeonato numa competição mista contra homens. Trata-se da campeã húngara Judit Polgar, considerada a melhor jogadora de todos os tempos.

(*) Denise Ramos Moreira á aluna do curso de Química da UECE



Escrito por gtelmo às 19h49
[] [envie esta mensagem] [ ]



"CAPA"

Autor: TELMOQUÍMICA

Buscar na Web "TELMOQUÍMICA"

Quando: 15 DE AGOSTO DE 2007

 



Escrito por gtelmo às 01h19
[] [envie esta mensagem] [ ]



"EDITORIAL"

Autor: TELMOQUÍMICA

Buscar na Web "TELMOQUÍMICA"

Quando: 15/08/2007

Editorial

 

Voltamos depois de uma longa ausência. Falta de tempo. Muito trabalho. Viagens. O período letivo meio atrapalhado. Atípico.

O importante é que estejamos de volta.

Deixamos algumas expectativas. Ainda não formalizamos nossa parceria com as Livrarias Livro Técnico para a premiação dos que responderem corretamente as perguntas do blog. Também não formalizamos o desconto de 10% para alunos da UECE que comprarem livros nas citadas livrarias. Vamos agilizar ambos os processos.

Neste número fizemos algumas inovações, mas mantivemos o formato e a linha editorial do blog. Introduzimos um post de curiosidades e também um  experimento que deverá e poderá ser feito em casa com um pequeno investimento e vale um livro.

A pergunta se refere a este experimento, mas  vai estar no final desta edição do blog para obrigar os interessados a pesquisar no blog inteiro.

Falamos também sobre o jogo de Xadrez e aproveitamos para homenagear a Federação Cearense de Xadrez que completou aniversário no dia 15 de agosto e que presta relevantes serviços á causa da educação. A Federação hoje está praticamente sediada em Quixadá, celeiro de grandes enxadristas. Orgulhamo-nos de ter, no passado, ajudado a criar o primeiro clube de Xadrez de Quixadá, o CEUQ - Centro Enxadrístico Universitário de Quixadá que funcionou na FECLESC (Faculdade de Quixadá) e iniciou no Xadrez mais de 120 crianças e adolescentes.

Este blog presta uma homenagem especial a todos os estudantes pela comemoração da sua data magna, o dia 11 de agosto.

Registramos aqui o nosso apreço pela valorosa categoria dos estudantes e, impossibilitado de abraçar pessoalmente a cada um de vocês, deixamos aqui nosso abraço fraterno simbólico e votos de muitas felicidades na vida pessoal e profissional

Prof Gilberto Telmo

Quer mais informação? Temos outro blog para você visitar:

Visite o blog: TELMOCIÊNCIAS:

http://telmociencias.blogspot.com

 

 



Escrito por gtelmo às 01h17
[] [envie esta mensagem] [ ]



"CURIOSIDADES DA CIÊNCIA"

Autor: DIVERCIENCIA

Buscar na Web "DIVERCIENCIA"

Quando: agosto/2007

Guia do  estudante para resolver problemas de Física, Química, Matemática, etc.

1. Na medida do possível evita ler o problema. Ler o problema só consome tempo e causa confusão.

2.Extrai os números do  problema na ordem em que aparecem. Cuidado: alguns números também podem estar expressos com palavras.

3. Se com a regra 2 obténs três ou mais números, o melhor para determinar a resposta é somá-los.

4. Se só existem dois números que são muito próximos, a subtração traz melhores resultados

5. Se existem só dois números no problema e um é muito menor que o outro divide-os se o resultado dá exato, em caso contrário, multiplica-os.

6. Se o problema necessita de uma fórmula, escolhe uma que tenha letras suficientes para usar todos os números do problema.

7. Se as regras 1-6 não funcionarem, faz uma última tentativa desesperada. Toma o conjunto de números que encontraste em  2 e enche pelo menos 2 páginas de operações utilizando-as ao acaso. Marca cinco ou seis respostas em cada página que alguma delas pode ser a correta. Podes conseguir alguma nota por ter tentado duramente.

8. Nunca empregues muito tempo resolvendo problemas. Com estas regras poderás realizar uma prova extensa em menos de dez minutos e sem ter que pensar muito. [Autor : Joe Dodson, Mathematics Supervisor, Winston-Salem/Forsyth County Schools, North Carolina ]

• Guía de bolso da ciência moderna :

1. Se é verde, é biologia

2. Se cheira mal, é química

3. Se não funciona, é física.

4. Se não se entende é matemática

5. Se não tem sentido, é economia ou filosofia

 • Pergunta: quanto é  2 + 2 = ?    Respostas:

Engenheiro : 3.9968743

Físico : 4.000000004 ± 0.00000006

Matemático : Espere, só uns minutos mais, já provei que a solução exite e é única, agora estou checando...

Filósofo : O que quer dizer 2+2 ?

Lógico : Defina melhor 2+2 y e responderei

Como se calcula o volume de uma vaca?

Engenheiro: Metemos a vaca dentro de um grande tanque e a diferença de volume é o volume da vaca.

Matemático : Parametrizamos a superficie da vaca e calculamos o volume através de uma integral tripla.

Físico : Suponhamos que a vaca seja esférica...

E, para terminar:

Um cientista é alguém que sabe tudo de nada e um filósofo é alguém que sabe nada de tudo.

BRINCADEIRINHA! EXTRAÍDO DO SITE: http://www.iestiemposmodernos.com/diverciencia/la_qm/qm_marco.htm

 



Escrito por gtelmo às 23h59
[] [envie esta mensagem] [ ]



  "DIA DO ESTUDANTE"

Autor: Prof. Dr. Aureliano da Fonseca

Buscar na Web "Prof. Dr. Aureliano da Fonseca"

Quando: 11/08/2007

Já podaram seus momentos
Desviaram seu destino
Seu sorriso de menino
Tantas vezes se escondeu
Mas renova-se a esperança
Nova aurora a cada dia
E há que se cuidar do broto

Pra que a vida nos dê flor e fruto

Coração de estudante - (Milton Nascimento e Wagner Tiso)

Como nasceu o dia do Estudante?

No dia 11 de agosto de 1827, D. Pedro I instituiu no Brasil os dois primeiros cursos de ciências jurídicas e sociais do país: um em São Paulo e o outro em Olinda, este último mais tarde transferido para Recife. Até então, todos os interessados em entender melhor o universo das leis tinham de ir a Coimbra, em Portugal, que abrigava a faculdade mais próxima. Na capital paulista, o curso acabou sendo acolhido pelo Convento São Francisco, um edifício de taipa construído por volta do século XVII. As primeiras turmas formadas continham apenas 40 anos. De lá para cá, nove Presidentes da República e outros inúmeros escritores, poetas e artistas já passaram pela escola do Largo São Francisco, incorporada à USP em 1934. Cem anos após sua criação dos cursos de direito, Celso Gand Ley propôs que a data fosse escolhida para homenagear todos os estudantes. Foi assim que nasceu o Dia do Estudante, em 1927.

________________________________________

O que é ser "Estudante"?

Será estudante apenas aquele que estuda e porventura tem avidez de conhecimento, de sabedoria? Querer saber não é atributo da criança e do jovem, como do adulto que jovem continua a ser? Deste pensar, será estudante quem mantiver o desejo de saber e com o saber o espírito de juventude! E ser jovem, o que é? Não é ser idealista e também acreditar em efêmeras ilusões? E nessas efêmeras ilusões (ficções ou miragens), não estão os "seus amores", porventura de breve duração, "como as rosas de um dia", "perfume de sonho que se sonhou"? Assim pensando, em dada canção dedicada aos estudantes, que o mesmo é dizer, aos jovens que o sejam, está dito: "Quero ficar sempre estudante para eternizar a ilusão de um instante..." A pretender-se guardar no sacrário do nosso ser, esses ideais e sonhos de amor, perdurados pelo tempo fora com espírito jovem - porque o espírito não tendo corpo não envelhece!

Comentário do blog: mesmo em tempos difíceis e sombrios como os que estamos vivenciando, vale a pena ser estudante. Um bom estudante, é claro!



Escrito por gtelmo às 23h30
[] [envie esta mensagem] [ ]



  "AS ORIGENS DO  XADREZ"

"Alguma vez os homens foram semideuses,
senão, não inventariam o xadrez".

Alexander Alekhine

     A invenção do jogo de xadrez se relaciona diretamente com a matemática, a partir de um antigo pergaminho que relata o seguinte:
     Estava enfermo certo Rei na Índia e lhe indicaram que deveria se distrair com algo agradável. Para ele Dahir al-Hindi elaborou o jogo de xadrez. Depois de ter expressado sua alegria pela invenção, o Rei disse: "Peça uma recompensa".
     Dahir al-Hindi pediu um dirhem (moeda de prata utilizada pelos árabes na Idade Média) para a primeira casa do tabuleiro e que fosse dobrando progressivamente este número a cada uma das casinhas restantes, a que o Rei comentou:"Me assombra que um homem como você, capaz de criar um jogo tão maravilhoso, aceite recompensa tão pequena. Que receba o que pede".
     Mas quando o assunto chegou aos ouvidos de seu Vizir, este se apresentou diante o Rei e disse: " Precisas saber, oh Rei, que mesmo vivendo mil anos e recolhendo para ti todos os tesouros da Terra, não poderá pagar o que lhe foi pedido.
     A quantidade que resulta de dobrar o primeiro número para cada uma das casas do tabuleiro resulta em: 18.446.744.073.709.551.615.
     Esta lenda já foi contada de muitas maneiras, trocando os nomes dos protagonistas e até o motivo da recompensa. Porém, os ancestrais do xadrez provavelmente surgiram  40 séculos antes de nossa era, dada a escrita pictórica e escultura, que servem para iniciar as investigações sobre o jogo. Ainda que a informação mais divulgada durante os últimos três séculos, sustenta que o xadrez foi inventado na Ásia Central, no noroeste da Índia.

 As primeiras referências ao jogo de Xadrez, datam do século VII, do norte da Índia. Aparentemente o tabuleiro quadriculado já era conhecido muitos séculos antes e utilizado para um jogo de dados. Mas é do século VII a citação mais antiga de um jogo que se assemelha com o Xadrez, embora o jogo possa ser mais antigo do que isso.

Era chamado de Chaturanga, ou dividido em quatro, e nele quatro exércitos se enfrentavam no tabuleiro, cada um composto de rei (rajá), elefante, cavalo e barco (ou carruagem) além da infantaria. Em uma de suas versões, um dado determinava qual peça deveria ser movida.

Documentos testemunham a presença de um jogo semelhante na China, dois séculos mais tarde. Não se sabe se o jogo chinês evoluiu do Chaturanga ou se ambos vieram de um ancestral comum. É até possível que o Chaturanga tenha vindo do jogo chinês, embora a maioria dos especialistas não aceite essa tese.

Da Índia o jogo percorreu um longo caminho até chegar à Europa. Passou pela Pérsia (atual Irã), onde ganhou o nome de Chatrang e algumas modificações. Quando os árabes conquistaram a Pérsia alguns séculos mais tarde, levaram o jogo. Foi entre os árabes que o então chamado Shatranj conheceu um verdadeiro desenvolvimento.

O Xadrez chegou na Europa Medieval possivelmente por intermédio do mundo islâmico via Espanha e Itália, embora isso não seja certo. Espalhou-se por diversas regiões, tomando caminhos diferentes de desenvolvimento e dando origem a inúmeras variantes regionais. Foi só por volta do século XVIII que o Xadrez chegou a sua forma “definitiva”, da maneira como é jogado até hoje.

 Fontes:

http://www.xadrezregional.com.br/histxadrez.html

http://www.hottopos.com.br/rih3/xadrez.htm

 

Federação Cearense de Xadrez: http://www.xadrezcearense.com.br/

 

Sabem de quem é a foto? É da Denise Ramos, fazendo uma das coisas que mais gosta. Denise é aluna do curso de Química da UECE (tinha de ser da Química). Esse curso de química da UECE é demais! A partir do próximo blog Denise terá um espaço reservado para escrever sobre o jogo de xadrez. Estamos aguardando!



Escrito por gtelmo às 23h24
[] [envie esta mensagem] [ ]



"PREGUIÇA ACADÊMICA"

Autor: Tom Coelho

Buscar na Web "Tom Coelho "

Quando: agosto de 2007

“Nada fazer é o caminho certo para não ser ninguém.” (Nathiel Hower)

Dicionários e enciclopédias caíram em desuso e a internet está formando estudantes que não lêem, não escrevem e que usam de um comodismo por vezes travestido de oportunismo para fazer pesquisa acadêmica. Ela foi lançada em 1964 e teve sua primeira edição esgotada em apenas dez meses. Rapidamente tornou-se não apenas um objeto de desejo, mas um instrumento singular de apoio educacional. Nos anos setenta e até meados dos oitenta, foi o melhor presente que pais poderiam conferir a seus filhos, muitas vezes adquirida com dificuldade mediante pagamento parcelado. Estou falando da Enciclopédia Barsa.

Lembro-me daquela coleção com dezesseis livros de capas vermelhas e letras douradas que me auxiliava nas tarefas escolares e me abria as portas para um mundo surpreendente esperando para ser desvendado. O atlas geográfico suscitou-me a curiosidade por países, bandeiras, moedas e idiomas. E as pesquisas aos diversos verbetes estimulavam o prazer pela leitura e, por conseguinte, pela escrita, uma vez que os temas consultados tinham que ser relatados num caderno ou em atividade acadêmica para ser entregue.

Com o advento da internet as enciclopédias caíram em desuso. Hoje, um estudante não precisa mais folhear páginas a procura de uma informação. Basta acessar um site de busca para localizar o tema de seu interesse, muitas vezes com milhares de links relevantes. Depois, é copiar e colar o texto, imprimindo-o e dando por encerrada a missão.

Neste processo, há muitas perdas. O prazer pela leitura se dissipa. Jornais, revistas e livros são proporcionalmente veículos menos utilizados. E o hábito da escrita também se esvai. Papel e caneta são substituídos por processadores de texto. A emoção e a personalidade presentes na caligrafia dão lugar à frieza dos bits e bytes.

Mas a facilidade de acesso à informação também trouxe consigo um efeito colateral: os jovens estão ficando mais indolentes e apáticos. Quase diariamente recebo mensagens de universitários solicitando artigos, ensaios, gráficos ou qualquer tipo de material que possa ajudá-los em um trabalho acadêmico ou na elaboração de sua monografia. Há ocasiões em que estes pedidos chegam de forma serena e consciente, deixando claro que minha eventual contribuição será acessória, complementar à atividade que desenvolvem.

Todavia, há circunstâncias nas quais os pedidos que me visitam vão desde a definição de uma palavra que pode ser encontrada nos dicionários (estes, também em desuso) até a mera transcrição, na íntegra, de uma tarefa proposta, incluindo data para entrega e regras para apresentação. Assim, o estudante encaminha as questões tal como lhe foram formuladas, esperando respostas prontas que possam eximi-lo do trabalho de pesquisar, ler, compilar, enfim, estudar.

Esta verdadeira febre assola também as chamadas comunidades virtuais. Quem participa de grupos ou fóruns temáticos de discussão, sabem o que estou dizendo. E, neste caso, a conduta se estende também a profissionais à caça de planilhas, testes de avaliação, dinâmicas de grupos, entre outros.

Informação e conhecimento devem ser compartilhados. Por isso, jamais deixo sem resposta um leitor, qualquer seja sua demanda. Mas vejo com preocupação este comodismo, às vezes travestido de oportunismo, porque me faz lembrar Confúcio que dizia: “A preguiça anda tão devagar que a pobreza facilmente a alcança”.

Tom Coelho, com formação em Economia pela FEA/USP, Publicidade pela ESPM/SP, especialização em Marketing pela MMS/SP e em Qualidade de Vida no Trabalho pela FIA-FEA/USP, é empresário, consultor, professor universitário, escritor e palestrante. Diretor da Infinity Consulting e Diretor Estadual do NJE/Ciesp. Contatos através do e-mail: tomcoelho@tomcoelho.com.br. Visite: www.tomcoelho.com.br Publicado no Portal da Família em 06/02/2007: http://www.portaldafamilia.org/scpais/pf_pais.shtml



Escrito por gtelmo às 10h13
[] [envie esta mensagem] [ ]



"UM NOVO TEMPO PARA O CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DA UECE"

(publicado no jornal Tudo @ ler do Centro de Educação em agosto de 2007)

As licenciaturas curtas em ciências foram criadas pelo regime autoritário, de triste memória, com o objetivo de formar professores de ciências a toque de caixa, desenvolvedores de receitas de bolos, incapazes de criar, raciocinar e desenvolver uma postura crítica. Pretendiam esses cursos a produção de mão de obra mal qualificada para continuar formando alienados nas áreas técnicas capazes de se amoldar mais tranquilamente às exigências da ordem vigente e de um mercado de trabalho onde prevaleciam os interesses das empresas multinacionais.

No estado de São Paulo a USP era responsável pelo registro de diplomas de nível superior por delegação de competência do MEC e resistiu bravamente à implementação desses cursos. Recusou-se a registrar diplomas da licenciatura de curta duração. Por conta dessa determinação, nenhum desses cursos prosperou em São Paulo. No Ceará a UECE implementou na capital e no interior (Quixadá e Limoeiro) as famigeradas licenciaturas. No caso específico de Quixadá, para assegurar direitos adquiridos dos estudantes, o curso de ciências, mesmo incipiente, foi reconhecido pelo extinto Conselho Federal de Educação em janeiro de 1988. Pouco tempo depois era gestada a primeira licenciatura plena da UECE, pioneiramente em Quixadá. A FECLESC optava por um curso que assegurasse aos graduados um espaço digno no mercado de trabalho, condizente com o advento da redemocratização no País.

Mesmo diante de algumas incompreensões, os cursos de licenciatura plena de Quixadá foram autorizados pelo CEPE em sessão histórica. As antigas licenciaturas de Fortaleza eram curtas e a elas se acoplavam mais dois anos para a chamada plenificação. Depois da iniciativa de Quixadá, foram criadas as licenciaturas plenas de Fortaleza em Química, Física, Biologia e Matemática. Ao final do ano 2000 o Conselho de Educação do Ceará reconheceu as licenciaturas de Quixadá e posteriormente as licenciaturas de Fortaleza. Em que pesem grandes resistências, uma grade curricular moderna foi proposta contemplando entre outras disciplinas, história da química e filosofia das ciências. O curso ainda se ressente da falta de uma disciplina que trate da química do cotidiano e outra que cuide do ensino integrador das ciências. Ambas de importância fundamental: a primeira contextualizando o ensino de química com os fatos que nos cercam e a segunda que assegura a interdisciplinaridade na área. Mas, nenhuma grade curricular é estática e nem é camisa de força. Queremos crer que em futuro próximo esta nossa preocupação será contemplada.

O passo mais importante, no entanto, foi a introdução da obrigatoriedade da monografia para a integralização curricular. Nos últimos anos muitos e excelentes trabalhos têm sido apresentados. Os mais diferentes temas têm sido abordados com grande competência e qualidade. Por vezes refletem a preocupação com o ensino de química no ensino médio, fitoterápicos, alimentos, história da química. Só para citar os mais recentes, no semestre que findou foram apresentados trabalhos de grande densidade abordando e resgatando aspectos importantes da história da Química: A luta e afirmação de madame Curie e Rosalind Franklin de Patrícia Neto e também Restauração de papel: mais uma área de atuação para o Químico de Juliana Parrião. A elaboração criteriosa de uma monografia por vezes requer uma boa pesquisa laboratorial, mas, em todos os casos, não pode prescindir de uma pesquisa bibliográfica. E a leitura fornecerá subsídios e ferramentas para a produção de um texto científico de boa qualidade. Porque, no dizer de Deoclécio Campos, “a leitura é problematizadora, induz a reflexão, suscita hipóteses, faz pensar” Sem sombra de dúvidas, a substituição das licenciaturas curtas por licenciaturas plenas constituiu um salto de qualidade. A grande procura por esses cursos é o mais veemente atestado desta afirmação. Acrescente-se ainda o fato de que nos últimos eventos de nacionais de química os alunos da UECE têm obtido os melhores resultados em premiação. Delineia-se para esta nova fase da licenciatura em química um futuro de esperanças: a contribuição decisiva de nossos alunos na mudança do perfil da educação no Ceará..

E, tudo indica que, os últimos resquícios do entulho autoritário e da ação intervencionista retrógrada na área de ciências da natureza foram definitivamente soterrados na UECE pelo advento dos novos cursos.

Prof. especialista Gilberto Telmo Sidney Marques Prof. adjunto X – coordenação de Química - CCT



Escrito por gtelmo às 10h01
[] [envie esta mensagem] [ ]



"Uma Terra sem humanos"

Autor: Alan Weisman

Buscar na Web "Alan Weisman "

Quando: agosto/2007

Uma Terra sem humanos Uma nova forma de avaliar o impacto da humanidade sobre o ambiente é pensar como o mundo se sairia se todas as pessoas desaparecessem por Alan Weisman.

 KENN BROWN E EMILY HARRISON DE VOLTA À NATUREZA: Se todos os seres humanos desaparecessem, Manhattan voltaria a ser uma ilha florestada. Muitos arranha-céus cairiam em questão de décadas, minados por fundações alagadas; prédios de pedra como a catedral de Saint Patrick (na representação do artista) sobreviveriam por mais tempo. Ervas daninhas e árvores se enraizariam no asfalto rachado, enquanto aves de rapina se aninhariam nas ruínas e raposas perambulariam pelas ruas.

Entrevista com ALAN WEISMAN

INTRODUÇÃO É uma fantasia comum imaginar que você é a última pessoa viva na Terra. Mas e se todos os seres humanos fossem varridos de repente do planeta? Tal premissa é o ponto de partida de The world without us (O mundo sem nós), nova obra do autor de livros científicos Alan Weisman, professor associado de jornalismo da University of Arizona. Nesse longo exercício de pensamento, Weisman não especifica exatamente o que elimina o Homo sapiens, em vez disso ele simplesmente assume o desaparecimento repentino de nossa espécie e projeta a seqüência de eventos que provavelmente ocorreria nos anos, décadas e séculos a seguir. Segundo Weisman, uma grande parte de nossa infra-estrutura física começaria a ruir quase que imediatamente. Sem equipes para a manutenção das ruas, nossos grandes bulevares e rodovias começariam a rachar e a ficar abaulados em questão de meses. Nas décadas seguintes, muitas casas e edifícios comerciais ruiriam, mas alguns itens comuns resistiriam à degradação por um tempo extraordinariamente longo. Panelas de aço inoxidável, por exemplo, poderiam durar milênios, especialmente se ficassem enterradas nos sítios pré-históricos cobertos por ervas daninhas em que nossas cozinhas se transformariam. E certos plásticos comuns permaneceriam intactos por centenas de milhares de anos, não se decompondo até que micróbios evoluíssem para adquirir a capacidade de consumi-los.

O editor da SCIENTIFIC AMERICAN Steve Mirsky entrevistou Weisman recentemente para descobrir por que ele escreveu o livro e que lições podem ser tiradas de sua pesquisa. Veja trechos da entrevista nas páginas seguintes.

 Alan Weisman é autor de cinco livros, incluindo The world without us (St. Martin’s Press, 2007). Seu trabalho já apareceu na Harpers, New York Times Magazine, Los Angeles Times Magazine, Discover, Atlantic Monthly, Condé Nast Traveler, Orion e Mother Jones. Weisman tem um programa na National Public Radio e na Public Radio International e é produtor sênior da Homelands Productions, organização jornalística que produz séries independentes de documentários para a rádio pública. Ele leciona jornalismo internacional na University of Arizona. Multimídia Confira as animações que mostram como ficaria Nova York se todas as pessoas desaparecessem. www2.uol.com.br/sciam/multimidia/a_terra_sem_humanos.html www2.uol.com.br/sciam/multimidia/o_longo_desaparecimento_da_humanidade.html



Escrito por gtelmo às 01h02
[] [envie esta mensagem] [ ]



"OS SIMPSONS"

Autor: wikipedia

Buscar na Web "wikipedia"

Quando: agosto de 2007

OS SIMPSONS SEGUNDO A WIKIPÉDIA

http://pt.wikipedia.org/wiki/

The_Simpsons Os Simpsons (do original em inglês The Simpsons) é uma série de desenhos animados para a televisão que retrata o dia-a-dia de uma família estadunidense. Criado pelo cartunista Matt Groening para a emissora Fox Network, foi exibido pela primeira vez em 1989. Através dos protagonistas Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie, o programa faz críticas ao comportamento humano, à sociedade e ao modo de vida americano. A série tem 400 episódios e 18 temporadas, o que a faz a mais antiga em exibição nos EUA. Recebeu inúmeros prémios desde que iniciou emissões, tais como: 23 Emmy Awards, 22 Annie Awards e um Peabody. Em 2000, o programa ganhou uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood. Em 1998, a revista Time elegeu-a como a melhor série televisiva do século. Surgiu em 1987 como uma série de curtas de trinta segundos, produzidos por Matt Groening e James Laurence Brooks para a série de televisiva The Tracey Ullman Show. A reação dos telespectadores foi tão positiva que "Os Simpsons" evoluiu para um programa, estreando como um especial de Natal de meia hora, em 17 de dezembro de 1989, e depois como série regular em 14 de janeiro de 1990. De enorme influência na cultura pop, serviu de inspiração para diversas outras séries animadas, além de citações em inúmeras obras de escritores, músicos e diretores de cinema e televisão. Em 2001, o grunhido “D´oh”, do personagem Homer Simpson, foi adicionado ao Oxford English Dictionary. Um grande número de produtos foi criado com base no programa, desde jogos electrónicos até livros que discutem conceitos filosóficos a partir da conduta das personagens. Um filme de longa metragem foi especialmente criado para celebrar os 20 anos da série, completados em 2007. O filme passou 10 anos para sair do papel PERSONAGENS A série é focada nas aventuras de uma típica família suburbana do meio-oeste norte-americano. Seu chefe, Homer Simpson, é inspetor de segurança da Central Nuclear de Springfield (no Brasil, chamada de Usina Nuclear de Springfield). Marge Simpson, sua esposa, é uma dona de casa estereotipada. O casal tem três filhos: Bart, um garoto rebelde de dez anos; Lisa, uma menina-prodígio de oito anos que adora tocar saxofone e Maggie, a caçula da família, uma bebê que não fala. Completam a família um cachorro chamado no Brasil de Ajudante de Papai Noel e em Portugal de Ajudante do Pai Natal, além de um gato, no Brasil chamado de Bola de Neve e em Portugal conhecido como Snowball. Os produtores decidiram que os personagens não envelheceriam ao longo da série, embora celebrações como festas religiosas e de fim de ano apareçam com frequência. Há ainda um grande número de personagens menores, desde parentes da família até coadjuvantes eventuais QUER SABER MAIS: http://www.thesimpsons.com.br/index.html O MAIOR SITE SOBRE OS SIMPSONS DA AMÉRICA LATINA

Comentário do blog: vale apena ver o filme. Arrisque.



Escrito por gtelmo às 00h42
[] [envie esta mensagem] [ ]



Eu sou o Zé Perguntador
OLHA EU AQUI OUTRA VEZ:
A PERGUNTA É:
 
Se você realizou o experimento das cenouras, que está descrito neste blog atual, responda:
Como ficou a cenoura que foi megulhada na água?
Como ficou a cenoura que estava imersa na solução concentrada de sal de cozinha e água?
Como se explicam as modificações sofridas pela cenoura.
 
A resposta correta está valendo o livro: Pensando e explicando o universo de Eloísa Maia Vidal e José Everardo Bessa Maia - Coleção Magister - Edições Demócrito Rocha.
Ganha o livro quem responder corretamente e em primeiro lugar.Esta promoção só é válida para alunos da UECE


Escrito por gtelmo às 22h50
[] [envie esta mensagem] [ ]



"CAPA'

Quando: 26/06/2007

"Quero que se faça justiça"

(Sirlei Dias Carvalho Pinto, trabalhadora espancada por mauricinhos psicopatas no Rio de Janeiro) 



Escrito por gtelmo às 21h39
[] [envie esta mensagem] [ ]



"EDITORIAL"

Autor: TELMOQUIMICA

Quando: 26/06/2007

Caros amigos:

Nesta edição manifestamos nosso repúdio àa violência de um bando de celerados, psicopatas de classe média que agrediu a sra. Sirlei Dias Carvalho Pinto, "confiundida com uma prostituta". Ora, o mentecapto diz que o grupo se enganou. Que o alvo era outro. Como se prostituta não fosse tam´bém um ser humano merecedor de respeito e do direito à vida. Sirlei perdoou publicamente seus algozes mas, quer que seja feita justiça. Em matéria enviada ao Globo on line manifestamos o nosso repúdio e cobramos justiça. Na nossa manifestação lembramos os crimes anteriormente cometidos por mauricinhos irresponsáveis que assassinaram uma bailarina em Fortaleza e depois um índio (Galdino) em Brasília.Todos os personagens dessas tramas macabras são meninos bem cuidados, filhos de pais de classe média alta, estudantes universitários. No mesmo blog mostramos a alarmante movimentação da cocaina no nosso país, como fomentadora da violência. Drogas e violência são causa e conseqüência.

Outro tema preocupante é retomada da construção de Angra III. É hora de indignação. Vamos reagir. Vamos lutar contra as agressões: agressões às pessoas e ao ambiente.A agressão ao meio ambiente é tmabém uma forma crudelíssima de viloência.

Grande abraço



Escrito por gtelmo às 21h18
[] [envie esta mensagem] [ ]



"OLHA EU AQUI DE NOVO"

PERAÍ. DAQUI A POUCO VOCÊ VAI SABER QUAL A PERGUNTA DO BLOG E QUAL O PRÊMIO QUE VAI GANHAR.

 

Quando: 26/06/2007



Escrito por gtelmo às 21h10
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]